Perfil

SIC

A Generala - Resumo do 2º Episódio

Maria Luísa instala-se em Lisboa e com a ajuda de Artur Mourato consegue identificações falsas

Armanda Claro

Maria Luísa é conduzida ao estabelecimento prisional de Tires, onde fica em prisão preventiva. Na cela, recorda como, 28 anos antes, chegou de barco a Lisboa, assumindo a identidade do falecido irmão Otávio. Mesmo sem documentos, Maria Luísa consegue ficar hospedada numa pensão barata, onde enfaixa o peito e estuda a sua nova identidade masculina.

Em Lisboa, Maria Luísa/Otávio deslumbra-se com a vida da cidade e compra o seu primeiro fato, o que a ajuda a ganhar confiança na nova identidade que acabou de assumir. Conhece, na pensão, Artur Mourato, um ator e encenador homossexual de quem se torna amiga. Artur desenha Otávio e, 28 anos depois, Maria Luísa coloca esse mesmo desenho na parede da sua cela. Sabe que os dias que passará na prisão não vão ser fáceis.

De volta ao passado, a polícia do Funchal arquiva o caso do alegado suicídio de Maria Luísa Paiva Monteiro, enquanto, em Lisboa, ela arranja emprego num escritório de contabilidade, assumindo-se como Romeu. O patrão, reconhecendo o seu valor, começa a apresentar-lhe clientes influentes, até que Maria Luísa/Romeu descobre que Vitor Resende está envolvido em negócios obscuros. Em troca do seu silêncio, exige uma boa quantia de dinheiro e contactos privilegiados.

Maria Luísa abandona assim a pensão e vai assumindo, ao longo dos anos seguintes, diferentes identidades, com profissões diversas. Em 1974, na pele de António Castro Macedo, assessor da Embaixada dos EUA, reencontra-se com Henrique Frutuoso numa festa, em Cascais. Apavorada com a possibilidade de ser desmascarada, Maria Luísa / António afasta-se, mas Henrique vai ao seu encontro e diz já saber de onde a conhece...

SUBSCREVA AQUI

nas redes

pesquisar