SIC

Álvaro

Rui Morrison

ana antonio bento

DONO DA MUVV/ CHEFE DA REDE DE DOPING | 51 anos

Nasci numa família muito rica de Sintra, mas cedo percebi que não queria viver às custas do dinheiro que eu não ajudei a ganhar. Comecei por tirar o curso de Engenharia Civil, mas dois anos depois percebi que Gestão ia ajudar-me a levar para a frente o meu projeto de vida: um império de roupa desportiva de luxo.

Mover-me no meio desportivo foi útil para criar alguns contactos vantajosos. Eu e a minha mulher Cecília fazemos uma boa dupla: eu trato do “corpo” e ela da “alma” da MUVV. Mas o nosso percurso profissional nem sempre foi sólido. Dez anos depois de a termos criado, a empresa entrou numa crise financeira grave e corremos o risco de fechar portas. A bóia de salvação veio através de um conhecido ligado ao ciclismo que me propôs usar a frota da MUVV para distribuir doping vindo do estrangeiro. Rapidamente livrei a MUVV do buraco financeiro… e encontrei uma nova oportunidade de negócio.

Na rede descobri que estava dentro de uma mina onde o ouro tinha o formato de anabolizantes que transformavam atletas em heróis medalhados. Ganancioso, decidi que queria fazer parte deste universo. Hoje sou dono deste universo. Atualmente a minha rede já não compra doping a outros. A minha rede produz, vende e distribui o seu próprio doping. A testa de ferro, a face visível da rede, é a Aurora - uma pessoa da minha extrema confiança.

O caos começa quando o meu filho Fred morre ao consumir doping. Sim, o meu doping. À partida, o doping não mata ninguém, é certo, mas o Marco achou por bem vender-lhe uma substância nova que ainda estava a ser testada. Sim, era promissora, mas não estava pronta!

Além disso, o gajo estava a roubar-me! Só vou parar de pensar nele quando o vir preso ou morto.

A perda do Fred vai deixar a minha família à beira da destruição. Obviamente eu vou manter-me em silêncio sobre ter sido indiretamente responsável pela morte do nosso filho, vou sofrer com isso.

nas redes

pesquisar