SIC

Rosa trabalhou dois anos perto do amianto e isto foi a sua sentença de morte: "Os órgãos ficam esmagados entre a pedra e a caixa torácica"

Rosa trabalhou dois anos perto do amianto e isto foi a sua sentença de morte: "Os órgãos ficam esmagados entre a pedra e a caixa torácica"

Depois do cancro ser detetado, já pouco havia a fazer. Rosa foi perdendo rapidamente as capacidades e nem a morfina lhe tirava as dores: "Eu hoje fecho os olhos e ainda ouço 'Filha ajuda-me'!"

nas redes

pesquisar