SIC

Perfil

Homens Vítimas de violência doméstica

  • Homens vítima de violência psicológica podem morrer mais cedo

    Homens Vítimas de violência doméstica

    O médico Henrique Barros considera que os homens vítimas de violência, daquela que "não se vê", tendem a ter em geral mais problemas de saúde do que as mulheres e podem morrer mais cedo. Um homem que "não chora", numa sociedade machista, leva a uma forma de agressão interior que pode provocar danos na saúde física e não só mental e psicológica.O professor da Faculdade de Medicina do Porto procura sensibilizar os futuros profissionais de saúde para a importância de conhecerem o historial de violência dos pacientes que pode ter relação com diferentes patologias. E defende que os médicos devem estar mais atentos a aspetos de natureza social e não só biológica.

  • Qualquer homem pode ser vítima de violência doméstica

    E se fosse consigo

    Andreia Machado e Marlene Matos, investigadoras do Centro de Investigação em Psicologia da Universidade do Minho, não têm dúvidas de que há um longo caminho a percorrer para que a sociedade e as instituições olhem para os homens vítimas de violência doméstica sem os julgar nem fazer juízos de valor. Autoras do estudo "Homens vítimas de violência na intimidade: das características aos significados", feito entre 2012 e 2016, falam sobre a realidade que abordaram e os resultados que obtiveram. Sublinham que não existe um perfil que torne as pessoas mais vulneráveis ou mais em risco de serem vítimas. Qualquer homem pode ser vítima.

  • A história de "André", vítima de violência doméstica

    Homens Vítimas de violência doméstica

    Mesmo sem dar a cara, "André" resolveu falar para ajudar outros homens. Tem a certeza que não é o único vítima de violência doméstica. Acredita que acontece a muitos homens mas só a vergonha os impede de assumir. E conta. Conta como foi a primeira agressão. Conta como foi outra que o deixou no chão a sangrar. E conta os "episódios" das queixas à polícia e os insultos à frente dos filhos. O que mais lhe custou foi ter de deixar de os ver quando decidiu fugir e procurar ajuda. Para poder reerguer-se e levar a vida para a frente.

  • Daniel Machado conta como foi humilhado, agredido e obrigado a cortar com os amigos

    E se fosse consigo

    A "história" de Daniel Machado parecia igual a muitas outras. Conheceu a namorada através de uma amiga, apaixonou-se, e acreditou que tudo ia correr bem. Mas dos pequenos sinais de controlo até à primeira agressão foi um curto caminho. Com o ciúme como mote, foi vigiado, humilhado, agredido, obrigado a cortar com os amigos. Passou a evitar ter discussões na cozinha, onde havia facas, e diz que pôs um ponto final à relação num dia em que as agressões ocorreram dentro do carro, quando estava a conduzir. Nunca quis responder às agressões.

  • "Álvaro" viveu seis anos de maus tratos num casamento de oito

    Homens Vítimas de violência doméstica

    Viveu seis anos de maus tratos num casamento de oito. "Álvaro", nome fictício, depois de mais uma agressão grave, que o fez temer pela própria vida, acabou nas urgências do hospital. Saiu de lá a pé, sozinho, sem nada e sem ter para onde ir. A mulher foi condenada por um tribunal a dois anos de pena suspensa. "Álvaro" vive hoje numa instituição onde tenta recomeçar a vida, um dia de cada vez.

  • Um casamento feliz até se instalar o ciúme e o controlo

    E se fosse consigo

    António Lopes casou com vinte anos, a mulher tinha dezasseis. Um casamento feliz até se instalar o ciúme e o controlo. A rua passou a estar-lhe proibida, o sofá e a televisão passaram a ser o seu mundo. O dinheiro era uma das fontes dos problemas, a pequena reforma que recebia, a mulher queria-a por inteiro. Ao fim de 20 anos, a violência instalou-se e subiu de tom. António diz que foi suportando muitas agressões, mesmo à frente das filhas, sem responder nem apresentar queixa. Até ao dia em que não aguentou e "respondeu". Acabou preso 4 meses.

  • És mesmo um estúpido, és um parvalhão! E Se Fosse Consigo?

    E se fosse consigo

    As mulheres são as maiores vítimas de violência doméstica mas os homens também são alvo deste crime. Os últimos dados do Ministério da Administração Interna revelam que o número de denúncias tem aumentado, sobretudo no contexto de relações de intimidade. E se tudo se passasse em plena luz do dia à vista de todos? E se fosse um amigo seu a ser maltratado por uma mulher em plena via pública? Durante a experiência com os atores, isso aconteceu.

  • "Será que alguém vai ajudar?" E Se Fosse Consigo?

    E se fosse consigo

    As mulheres são as principais vítimas de violência doméstica mas o número de homens vítimas tem aumentado. E quando são eles os alvos o que é que os outros pensam ou fazem? Fizemos a experiência. Num lugar público, em plena luz do dia, uma mulher insulta e agride um homem à frente de todos. Será que alguém irá intervir? E Se Fosse Consigo? Parava para ajudar? Ou ignorava e seguia o seu caminho?

nas redes

pesquisar