SIC

Portugal com mais cinco mortes e 353 novos casos de covid-19

Último balanço da DGS.

Portugal contabiliza esta terça-feira mais cinco mortes e 353 novos casos de covid-19, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim divulgado, desde o início da pandemia, Portugal já contabilizou 834.991 casos e 16.970 mortes, estando esta terça-feira ativos 23.816 casos, menos 846 em relação ao dia anterior.

Esta terça-feira 346 doentes estão internados em enfermaria, menos 19 em relação a segunda-feira e 86 em cuidados intensivos, menos cinco em relação ao dia anterior.

Os dados revelam também que 1.194 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 794.205 o número total desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

O número de contactos em vigilância pelas autoridades de saúde aumentou em 200 relativamente a segunda-feira, totalizando agora 25.011.

O Rt - índice de transmissibilidade - manteve-se esta terça-feira nos 0,99 a nível nacional e em 1 no território continental. Está no limite imposto pelo Governo

A incidência no continente também se manteve nos 67,3 casos por 100 mil habitantes. Ao nível nacional continua nos 70,4 casos.

Artigo em atualização.

Portugal em condições para avançar para a última fase do desconfinamento

A sessão desta terça-feira sobre a "situação epidemiológica da covid-19 em Portugal" decorreu nas instalações da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), em Lisboa, e, como tem sido habitual, por videoconferência.

A 20.ª reunião de peritos ocorre na semana em que o Governo vai decidir se Portugal avança para a quarta e última fase do plano de desconfinamento, que está prevista iniciar-se a 3 de maio.

O Presidente da República referiu no final que o avanço da vacinação: "a mortalidade e a letalidade vão acompanhando o avanço da vacinação".

NORTE MANTÉM TENDÊNCIA CRESCENTE E NO ALGARVE INCIDÊNCIA TEM BAIXADO

A sessão iniciou-se com a apresentação de André Peralta Santos, da Direção-Geral da Saúde, sobre a situação epidemiológica.

  • "Nos grandes centros urbanos há uma tendência decrescente o que estabiliza a tendedência nacional"
  • Paredes, Paços de Ferreira geram preocupação
  • Odemira em tendência decrescente
  • Algarve ainda com nível alto de incidência
  • Desceu a incidência na faixa etária 0-9
  • O grupo etários em que a incidência cresceu foi 10-20 anos
  • Incidência maior 10-49 anos
  • Maiores de 80 anos mantêm tendência decrescente: "tendência descrescente muito acentuada".
  • Hospitalizações e mortalidade com tendência decrescente
  • Testagem da semana 16: aumento da intensidade de testagem desde a semana 15
  • Positividade a nível nacional: abaixo dos 4%
  • Tendência estável na incidência, aumento no grupo 10-19, aumento da testagem 15-21, mais de 80 mantêm tendência decrescente

A região Norte mantém uma tendência crescente na infeção por SARS-Cov-2, mas inferior aos 120 casos /100 mil habitantes, e no Algarve a incidência tem diminuído, mas ainda com valores acima da média nacional. Nas últimas duas semanas regista-se uma tendência estável da incidência cumulativa a 14 dias, o que o especialista considerou "um bom sinal".

"SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA CONTROLADA"

A evolução da incidência e transmissibilidade do vírus SARS-CoV-2 a cargo de Baltazar Nunes, do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).

  • Decréscimo da transmissibilidade: R(t) 0,99 nos últimos 5 dias
  • Incidência média/dia em decréscimo, tendência estável
  • Aumento da incidência 10-20 anos (reforço de testagem e abertura de escolas)
  • "Situação nas escolas é bastante melhor que na abertura do ano letivo em 2020"
  • A nível europeu a incidência está a aumentar, com aumento da mobilidade
  • Efeito da vacinação: mais de 80 anos com taxa bastante elevada (inverteu a incidência com a primeira dose da vacina); grupo 60/79 ainda com cobertura vacinal baixa
  • Previsão de vacinação: 80% vacinados acima de 70 anos no final de maio, 80% acima de 60 anos no final de junho.
  • Região norte com R(t) 1,05
  • "Situação epidemiológica controlada, mas é importante a manutenção do controlo da epidemia: testagem, isolamento, rastreio, redução de contactos, Manutenção de medidas preventivas e manutenção do processo de vacinação".

"Observou-se um decréscimo da transmissibilidade e para os últimos cinco dias estimámos um R de 0,99. A incidência também está em decréscimo, a tendência é estável e será ligeiramente decrescente", adiantou o perito do INSA.

DETETADOS OS PRIMEIROS CASOS DA VARIANTE INDIANA

João Paulo Gomes, do INSA, faz a atualização da vigilância das variantes do vírus no país.

  • "Variante do Reino Unido prevalece, aumento das variantes de Manaus e África do Sul, detetados primeiros casos da indiana"
  • Previsão para mês de abril: total de 1800 vírus sequenciados de 18 distritos e mais de 150 concelho, até agora 550 vírus sequenciados.
  • Prevalência da variante do vírus do Reino Unido - 90%
  • Variante P1 (Manaus) - todos os países europeus com tendência crescente - Portugal com 73 casos, 44 identificados nos últimos 15 dias
  • Variante África do Sul - todos os países europeus com tendência crescente - Portugal com 64 casos, 11 nas últimas 2 semanas
  • Variantes de Manaus e da África do Sul com tendência crescente em Portugal e na Europa
  • Foram detetados os primeiros 6 casos da variante indiana, em Lisboa e Vale do Tejo

"Nesta última semana detetámos os primeiros cinco casos da tal variante que apelidamos como indiana, todos eles associados a Lisboa e Vale do Tejo, e que de acordo com o perfil genético que nós pudemos observar se referem a três introduções distintas desta variante no país", disse o investigador.

"RISCO DE MORRER POR COVID-19 É AGORA CINCO VEZES MENOR DO QUE NO INÍCIO DA PANDEMIA"

Henrique de Barros, do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, faz uma apresentação sobre a vacinação, as variantes genéticas e a mortalidade.

  • "A importância da vacinação para avaliar as medidas que tomamos"
  • "Diários da pandemia": relatos de um conjunto de voluntários sobre a pandemia e a vacinação - pessoas mais velhas querem ser vacinadas; grupo etário 40-60 são os que querem menos tomar a vacina
  • "Foi melhor a realidade que as nossas previsões conservadoras"

A probabilidade de um doente morrer por covid-19 baixou em Portugal de 4%, nos primeiros dois meses da pandemia, para 0,5%, revelou hoje o epidemiologista Henrique Barros.

"ATAQUE POR FAIXA ETÁRIA" NO PLANO DE VACINAÇÃO

O coordenador da task force vice-almirante Henrique Gouveia e Melo faz o ponto de situação da vacinação.

  • "Vacinação está perto de atingir 3 milhões de inoculações no continente, com os Açores já ultrapassámos os 3 milhões de vacinados"
  • 70% da população vacinada em agosto
  • Auto-agendamento na ordem das 100 mil pessoas/dia

LINKS ÚTEIS

MAPA COM OS CASOS A NÍVEL GLOBAL

nas redes

pesquisar