Perfil

SIC

Diogo vence o Ídolos

O público votou e escolheu o novo Ídolo de Portugal!

LIONEL BALTEIRO

Diogo Piçarra encantou na gala final do Ídolos. Cantou dois temas inesperados a solo, "Nothing Else Matters" dos Metallica e "A Máquina" dos Amor Electro,  fez um dueto com Vanessa da Mata, "As Palavras" da cantora brasileira, e um dueto com a sua rival Mariana Domingues. Ambos cantaram "Don't Let The Sun Go Down On Me" de Elton John e George Michael.

 

Aos 21 anos, o Diogo decidiu que devia tentar mais uma vez a sua sorte no Ídolos. Pegou na sua guitarra, fez as malas e rumou ao Estoril.

Apresentou-se ao júri de uma forma muito audaz, já que cantou e tocou uma versão do tema de Pedro Abrunhosa, "Se Eu Fosse Um Dia o Teu Olhar".

Embasbacados com tamanho atrevimento, os jurados revelaram que não tinham sido conquistados pelo seu olhar, mas sim pelo cunho pessoal que o Diogo deu àquele tema:

Pedro Abrunhosa - "Eu fiquei absolutamente encantado com a tua versão"

Manuel Moura dos Santos - "Tens alguma personalidade a cantar"


Em Tróia foi posto à prova num Chorus Line só de repetentes. Na prova do piano não renunciou à sua guitarra por uma questão de "segurança", confessou o Diogo que quase o levou para fora do programa. Ainda assim, o júri apostou no Diogo pois considerou que ele é um homem de palco e devia ter uma oportunidade como finalista no Ídolos.


Chegaram as galas e o Diogo quis provar a todos os portugueses e ao júri que merecia estar ali. Fez questão de dar aos temas que escolheu um toque pessoal, de uma maneira tão intimista, tão única e sentida que o fez ser criticado inúmeras vezes por Manuel Moura dos Santos, considerando que o Diogo cantava sempre no mesmo registo.


Surpreendente, fenomenal, asfixiante foram adjetivos que os jurados usaram para descrever as interpretações que o Diogo fez no Ídolos

O "The Whole of the Moon" foi o quebrar de um ciclo, pela primeira vez os 4 jurados renderam-se definitivamente àquele rapaz cujas interpretações "soavam" ao mesmo.

Na penúltima gala arriscou como nunca, cantou e tocou ao piano "Skinny Love". No estúdio presenciamos um momento único de simplicidade onde o Diogo teve todo mérito, arrancou do presidente do júri a melhor crítica que poderia ouvir: "Este foi sem dúvida nenhuma o teu momento no Ídolos. Eu acho que foi um momento extraordinário"

A sua evolução desde a 1ª gala foi estrondosa, o facto de ser finalista não o levou a deixar a humildade de lado.
O Diogo conquistou os portugueses que o levaram até à final.

Vê aqui todos os vídeos do Diogo

Vê aqui todas as fotografias do Diogo

Vê aqui todas as fotografias da última gala:

- Bastidores, Ensaios, Claques e Início de Gala

- Os Sócios, Pedro Abrunhosa e Tony Carreira / Lurdinhas

- Vanessa da Mata, Atuações dos finalistas, Buraka Som Sistema e Ídolos Kids

- Atuações ex-finalistas e Miguel Araújo (convidado musical)

- Decisão final, Diogo novo ídolo de Portugal

nas redes

pesquisar